Breve panorâmica do mercado de trabalho no Algarve

Category: Contratar demandantes de empleo residentes en el Algarve

A Andaluzia está situada no sul da Península Ibérica, sendo o ponto mais meridional do continente europeu. Faz fronteira com as regiões autónomas da Extremadura e de Castela-La Mancha a norte, com Múrcia a leste, com o Mar de Alborão e o Oceano Atlântico a sul e com Portugal a oeste. Está dividida em oito províncias (Almería, Cádiz, Córdoba, Granada, Huelva, Jaén, Málaga e Sevilha). É a segunda maior comunidade autónoma de Espanha (87.597 km2) e a primeira em termos de população, com 8.500.187 habitantes em 1 de janeiro de 2022, com uma densidade populacional de 97,04 habitantes/km2 e um aumento de 0,33 % em relação ao ano anterior. As províncias mais povoadas são Sevilha, Málaga e Cádis. Vivem na Andaluzia 741.378 estrangeiros, o que representa 8,72% da população, com um aumento interanual de 4,14%.

As informações do Diretório Central de Empresas do Instituto Nacional de Estatística (DIRCE a partir de 1 de janeiro de 2022) mostram que o tecido empresarial da Comunidade Autónoma da Andaluzia é composto por 545.502 empresas registadas, das quais 55,40% não têm empregados (302.214). Do total de empresas com trabalhadores (243.288), 91,39% têm até 9 trabalhadores e 7,47% têm entre 10 e 49 trabalhadores, o que evidencia o peso das pequenas empresas. As actividades económicas com maior número de empresas são: Comércio a retalho, exceto de veículos automóveis e motociclos; Actividades dos serviços de alimentação e bebidas; Construção de edifícios; Comércio por grosso e agentes do comércio, exceto de veículos automóveis e motociclos; Actividades imobiliárias; e Actividades de saúde. Entre as empresas mais relevantes encontram-se: Endesa Generación, Bida Farma e Atlantic Copper que ocupam as primeiras posições entre as mais fortes. Por províncias, as empresas com maior faturação são as seguintes: Grupo Cosentino, Grupo Unica e FJ Sánchez Sucesores em Almería; APM Terminals Algeciras, Grupo Osborne e Iberinox Recycling Plus em Cádiz; Cunext Copper Industries, Deoleo Global e SCA Ganadera del Valle de los Pedroches em Córdoba; Bida Farma, Lactalis Puleva e Coviran em Granada; Atlantic Copper, Minas de Aguas Teñidas e Atalaya Riotinto Minera em Huelva; Aceites del Sur-Coosur, Petroprix Energía e Grupo Alvic FR Mobiliario em Jaén; China Red, Compañía Logistica Acotral e Mercaoleo em Málaga; e Endesa Generación, Bida Farma e Heineken España em Sevilha.

Os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (Contas Regionais Espanholas) mostram que a Comunidade Autónoma da Andaluzia contribui com 13,3 % para o PIB nacional, sendo o sector dos serviços o que representa a maior parte da atividade económica da Comunidade, seguido da indústria, da agricultura e da construção. A primeira estimativa para a Andaluzia do Produto Interno Bruto em 2021 em comparação com 2020 em termos de volume revela um aumento de 5,5%, o mesmo que para Espanha. O Produto Interno Bruto per capita em 2021 foi de 18.906 euros, mais 7,8% do que no ano anterior, mas 25,85% inferior à média nacional.

De acordo com os resultados das Contas Regionais da Andaluzia para o quarto trimestre, o saldo para o ano de 2022 na Andaluzia foi um crescimento real do PIB de 5,2%, três décimos de ponto percentual abaixo de Espanha (5,5%). Em comparação com o contexto europeu, o crescimento da economia andaluza em 2022 é bastante superior à média da zona euro (3,5%, de acordo com as estimativas do Eurostat) e da UE (3,6%), o que favorece o processo de convergência. E isto numa altura de crise económica, como a provocada pela pandemia de COVID-19, a guerra na Ucrânia, a inflação elevada e a situação de seca. As estimativas dos Analistas Económicos de Andalucía sugerem que o PIB andaluz poderia moderar o seu crescimento para 1,6 % em 2023, e um aumento do emprego de 1,3 %, num contexto de elevada incerteza em que o risco de recessão para as principais economias mundiais aumentou.

Conforme indicado no último Inquérito às Forças de Trabalho (EPA) publicado, correspondente ao quarto trimestre de 2022, da população total da Andaluzia com 16 anos ou mais (7.138.700 pessoas), 4.026.100 estão ativos, dos quais 81,00% estão empregados e 19,00% desempregados. A taxa de desemprego na Andaluzia (19,00 %) é uma das mais elevadas de Espanha, apenas ultrapassada pelas cidades autónomas de Ceuta e Melilla. O valor correspondente para as mulheres é de 21,96% e para os homens de 16,45%. Na nossa Comunidade Autónoma, as províncias de Cádis, Huelva e Granada apresentam as taxas de desemprego mais elevadas, enquanto Almería e Sevilha apresentam as mais baixas.
De acordo com os dados dos registos administrativos da Segurança Social, em dezembro de 2022 e em comparação com o mesmo mês do ano anterior, o número de trabalhadores inscritos aumentou em 102.347. Por regime, registou-se um aumento no Regime Geral e no Regime Especial dos Trabalhadores Independentes, enquanto se verificou uma diminuição nos Regimes Especiais dos Trabalhadores Agrícolas e dos Empregados Domésticos.

O desemprego registado na Andaluzia em dezembro de 2022 foi de 727 097 pessoas, menos 7,45 % do que no mesmo mês do ano anterior. Os trabalhadores estrangeiros desempregados representavam 7,64%. Os contratos de trabalho celebrados em 2022 foram 4 069 741, o que equivale a uma diminuição de 11,30 % em relação ao ano anterior, gerados principalmente pelo setor dos serviços, com os trabalhadores estrangeiros a acederem a 15,99 % dos contratos registados na Andaluzia. As percentagens de contratos em Huelva e Almeria destacam-se com 39,54% e 38,75%, respetivamente.

Ligações

Nome URL
SERVIÇO PÚBLICO DE EMPREGO DO ESTADO http://www.sepe.es
INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA http://www.ine.es
MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA ECONOMIA SOCIAL http://www.mites.gob.es
MINISTÉRIO DA INCLUSÃO, SEGURANÇA SOCIAL E MIGRAÇÃO. http://www.seg-social.es
MINISTÉRIO REGIONAL DO EMPREGO, DA FORMAÇÃO E DO TRABALHO INDEPENDENTE http://www.juntadeandalucia.es/organismos/empleoformacionytrabajoautonomo.html
INSTITUTO DE ESTATÍSTICA DA ANDALUZIA https://www.juntadeandalucia.es/institutodeestadisticaycartografia/

Leave a comment